Jeremias 23.1-6 - 9º Domingo após Pentecostes - 22/07/2018

Caderno de Cultos 2018

22/07/2018

22/07/2018- 9º Domingo após Pentecostes
Pregação: Jr 23.1-6; Leituras: Mc 6.30-34,53-56; Ef 2.11-22
P. Adriel Raach – Transamazônica - PA

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
20º Domingo após Pentecostes: 22/10/17
Texto de prédica: Mateus 22.15-22
Demais leituras: Isaías 45.1-7; 1Tessalonicenses 1.1-10

17 – 20º Domingo após Pentecostes: 22/10/17
Texto de prédica: Mateus 22.15-22
Demais leituras: Isaías 45.1-7; 1Tessalonicenses 1.1-10 P. Adriel Raach

 

Saudamos a comunidade aqui presente, desejando que todos e todas se sintam bem em nosso meio.
20º Domingo após Pentecostes: 22/10/17
Texto de prédica: Mateus 22.15-22
Demais leituras: Isaías 45.1-7; 1Tessalonicenses 1.1-10
20º Domingo após Pentecostes: 22/10/17
Texto de prédica: Mateus 22.15-22
Demais leituras: Isaías 45.1-7; 1Tessalonicenses 1.1-10
17 – 20º Domingo após Pentecostes: 22/10/17
Texto de prédica: Mateus 22.15-22
Demais leituras: Isaías 45.1-7; 1Tessalonicenses 1.1-10
17 – 20º Domingo após Pentecostes: 22/10/17
Texto de prédica: Mateus 22.15-22
Demais leituras: Isaías 45.1-7; 1Tessalonicenses 1.1-10
Sejam todos bem-vindos para este culto, que é onde Deus se encontra conosco. Saúdo a cada um e a cada uma com as palavras bíblicas de Efésios 2.18 e 19b, que dizem: “É por meio de Cristo que todos nós, judeus e não-judeus, podemos ir, pelo poder de um só Espírito, até a presença do Pai. (...) Agora vocês são cidadãos que pertencem ao povo de Deus e são membros da família dele.”

Estamos no 9º domingo após Pentecostes. É por meio de Cristo e por causa de Cristo que viemos até aqui hoje. Por causa dele somos uma só família. Queremos hoje, mais uma vez nos achegar diante de Deus neste culto e reafirmar nossa fé no nosso salvador Jesus Cristo, o mesmo que já foi anunciado pelos profetas, e que hoje faz-nos sentirmos acolhidos pela presença redentora do nosso Deus.

(...) Se há visitantes entre nós, podem se identificar? (...) Sejam bem-vindos, sejam bem-vindas! Desejamos que se sintam bem aqui conosco.

CANTO DE ENTRADA
Nº 123 – HPD 1 – O nosso encontro vai ser abençoado

Ou: Nº 332 – HPD 2 – Deus está aqui
17 – 20º Domingo após Pentecostes: 22/10/17
Texto de prédica: Mateus 22.15-22
Demais leituras: Isaías 45.1-7; 1Tessalonicenses 1.1-10
SAUDAÇÃO
Nós nos reunimos aqui em nome do trino Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 350 – HPD 2 – Que a graça do Senhor Jesus

Ou: Nº 321 – HPD 2 – Vento que anima

CONFISSÃO DE PECADOS
O nosso auxílio vem do Senhor que fez o céu e a terra ... A festa de comunhão quer nos lembrar que Deus quer estar conosco. Comunhão pede que sejamos sinceros, autênticos e que saibamos reconhecer nossos pecados. Por isto, quero convidá-los para confessarmos nossos pecados:
Oremos: Deus de bondade e misericordioso. Nós nos dirigimos a ti neste momento como pessoas pecadoras e pedimos que nos perdoe os nossos pecados. Somos egoístas e nos esquecemos de seguir o exemplo que teu Filho, Jesus, nos deixou. Ajuda-nos a renovar nossa vida a cada dia e seguir sempre no caminho certo, servindo ao nosso próximo, estando sempre em dia com nossas responsabilidades como cidadãos e podendo também amar e perdoar-nos uns aos outros, assim como tu nos amas. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.
ANÚNCIO DO PERDÃO
...“e o amor de Deus é isto: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e mandou o seu Filho para que, por meio dele, os nossos pecados fossem perdoados” (1ª João 3.10). Fundamentados nesse amor, podemos confiar no perdão de Deus, em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo, Amém.

KYRIE
Por ainda haver tanta injustiça neste mundo, por ainda haver pessoas que se afastam da presença de Deus é que vemos tanta violência, guerras, discriminação, tanta pobreza, miséria, corrupção, ganância e hipocrisia. Jesus disse que veio ao mundo para que nós tenhamos vida, e a tenhamos em abundância. Por isso, queremos pedir a Deus que tenha pressa em enviar o Reino que será justo a todos. Fazemos isso cantando:

“♫ Pelas dores deste mundo, ó Senhor, imploramos piedade.
A um só tempo geme a criação. Teus ouvidos se inclinam ao clamor,
desta gente oprimida. Apressa-te com tua salvação.
A tua paz, bendita e irmanada com a justiça.
Abrace o mundo inteiro, tem compaixão.
O teu poder sustente o testemunho do teu povo.
Teu reino venha a nós. Kyrie Eleison. ♫”

ORAÇÃO DO DIA
Oremos: Deus Pai, tu desejas que vivamos bem, e por isso deste o teu Filho em nosso favor. Neste encontro viemos a ti suplicando por sabedoria, para que a tua palavra nos ajude a sabermos como escolher as pessoas que nos governam. Pela tua palavra que se fez verbo e nos encheu da verdade, permita que permaneçamos firmes, escutando o que queres nos ensinar, pois sabemos que tu és um Deus de amor e paz e que desejas o melhor para todos nós. Por Cristo, que vive reina contigo e com o Espírito Santo, hoje e sempre. Amém.
LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Jeremias 23.1-6

2ª Leitura Bíblica: Efésios 2.11-22

Aclamação do Evangelho:
Convido à comunidade a se colocar de pé, em respeito à leitura do Evangelho.

3ª Leitura Bíblica: Marcos 6.30-34,53-56

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 379 – HPD 2 – Estou pronto, Senhor

PREGAÇÃO
Oremos: Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo. Pedimos-te, faça-te presente aqui neste momento em que queremos meditar sobre a tua Palavra. Amém.

Cara comunidade, em tempos de “desgovernos” a palavra bíblica de Jeremias vem nos lembrar que já era assim nos tempos dos profetas do Antigo Testamento. O alerta de Jeremias às autoridades, certamente serviria aos nossos governantes: “Ai de vocês, autoridades, que deixam que o meu povo seja morto e espalhado!” (v.2) O contexto da época considerava como o “povo de Deus” apenas “o povo hebreu”, da linhagem de Abraão e os outros patriarcas e matriarcas. Obviamente que esta estratégia das autoridades de espalhar o povo era premeditada, pois um povo espalhado se torna mais fraco e vulnerável. O medo e o pavor que este povo sentia era natural, pois, longe dos seus familiares, não podendo praticar sua fé livremente, estava à mercê de opressores que queriam destruir o povo. O anúncio do profeta Jeremias lembra que Deus sempre cuida dos seus e que não os deixará desamparados. Por isso deveriam se firmar na esperança da vinda do Salvador. O mesmo seria descendente de Davi que, outrora foi o grande rei do povo hebreu, este que agora está sendo espalhado e enfraquecido. Este descendente de Davi não seria um rei qualquer, mas seria o “Senhor, nossa Salvação” (v.6).
- Cristo vem confirmar essa profecia de Jeremias e anunciar a paz a todas as pessoas. Falar de um rei justo, que “governará com sabedoria e fará o que é certo e honesto no país inteiro” (v.5), parece utópico a partir da experiência que temos em nosso Brasil. Durante o tempo do ministério de Jesus aqui no mundo, os discípulos todos ficavam aguardando que ele se revelasse como este grande “Rei da justiça”. Os caminhos largos e abertos são sempre mais atraentes. Ao que tudo indicava, pelo “poder”, ou seria pela “magia”? ...de Deus, logo estaria tudo resolvido no mundo. Não haveria mais fome, opressão, pobreza. Deus iria “escolher os seus” e faria sofrer os que mereciam.
- Não se vê nada de muito diferente hoje no Brasil quando ouvimos as manifestações das pessoas com relação às nossas autoridades e as defesas dos possíveis “Senhores, Salvadores da pátria”. Que tipo de salvação nós, CRISTÃOS, estamos esperando? Se olhamos para Cristo, o nosso Senhor e Salvador, vemos que a salvação se dá pelo sacrifício próprio, pelo amor direcionado ao outro, pelo perdão, pela inclusão! Não se trata de selecionar e separar os bons dos maus! Essa não é nossa tarefa. Todos e todas nós somos o povo de Deus hoje, pois não há mais o critério da circuncisão, ou seja, não precisa ter pertencido ao povo judeu ou ser descendente direto da linhagem dos patriarcas e matriarcas para fazer parte do povo de Deus. Jesus teve que passar por tortura e humilhação. Ele sempre pregou a paz, e ofereceu a outra face àquele que o agrediu. Essa incitação fanática à violência que vem tomando força em nosso país nos últimos tempos está conduzindo para longe do Evangelho genuíno do nosso Senhor Jesus Cristo.
- Nas palavras do profeta Jeremias, o próprio Deus trará o castigo às autoridades pelas maldades que têm feito. Trilhar o caminho da força e da violência é tentar tomar o lugar de Deus como “justiceiros”. Cristo mostrou o caminho do amor, da tolerância, da paz e do perdão. Por mais difícil que seja para nós segui-lo por este caminho, é por aqui que ele pede que sigamos, pois ele é o caminho! Já o caminho largo, que promete soluções rápidas por meios indigestos nos levarão à perdição. Este, por sua vez, há de ser um caminho que promete outros meios de salvação, contrárias ao que Cristo nos ensinou.
- A carta de Paulo aos Efésios nos lembra também que somos uma família, todos e todas, sem distinção de pessoas. Cristãos têm como marca principal a acolhida e o perdão de Deus que nos foi concedido por meio do nosso Salvador Jesus Cristo. Sem isso, estamos deixando de lado o essencial da nossa fé que é a boa nova do Evangelho: o nosso Deus habitou entre nós através do nosso Senhor Jesus Cristo, que veio trazer a salvação às pessoas através da sua morte na cruz e sua ressurreição.
- No evangelho de hoje ouvimos que Jesus é aquele que é seguido pela multidão e para quem são trazidos os doentes e necessitados. Mas, também é aquele que se sacrifica pelo povo, que serve, alimenta, cura. O “ai” às autoridades proclamado por Jeremias é direcionado àqueles que fazem justamente o contrário: usam de sua autoridade para enfraquecer e dividir o povo. Devemos nos perguntar sobre aqueles, dentre as nossas autoridades, que no mínimo estão realmente dispostos a se doar, a servir ao povo, que reconhecem que, antes e acima de tudo, devem se pôr a serviço. Quando se percebe o anseio pelo poder, a vaidade e o desprezo pelos desfavorecidos, o culto às riquezas e o desrespeito à criação de Deus como um todo, precisamos nos perguntar qual é o caminho que queremos trilhar. Ser cristão é ir pelo caminho estreito, servindo em amor, perdoando, acolhendo e incluindo.
- Os hebreus dependiam exclusivamente da intervenção divina para que sua situação fosse resolvida. Hoje, através da democracia, é possível que o próprio povo se mobilize para exigir e eleger autoridades que não façam o que aquelas autoridades vinham fazendo. Infelizmente, há vozes que clamam para que este tempo volte, onde ninguém mais terá permissão para erguer a voz e clamar por justiça, onde ninguém terá mais direito de escolher seus representantes. Como cristãos, devemos orar por uma “intervenção divina”, para que tenhamos paz, e que o evangelho genuíno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja acima de tudo e de todos.
- Que Deus nos ajude a encontrarmos nossa tarefa nestes momentos críticos que vivemos em nosso país e no mundo. Que o Cristo faça a diferença mais uma vez e nos salve. Venha o teu reino! Amém.

HINO
Nº 443 – HPD 1 – Resistência

CONFISSÃO DE FÉ
Movidos pelo amor de Deus por nós, e pela fé que Ele mesmo nos concede, confessemos juntos a nossa fé através das palavras do credo apostólico.
Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 359 – HPD 1 – Te ofertamos nossos dons
ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4
Senhor nosso Deus e Pai. Nós te rendemos graças pela nossa vida, por nos ter abençoado com a saúde, o vigor para o trabalho, com anos e anos de vida, com colheitas fartas, com ensinamentos e, somos imensamente gratos por teres se revelado a nós em Jesus Cristo, teu Filho amado, pelo qual enviaria o Espírito Santo ao mundo.
Faz-te presente entre nós comunidade, nas vidas de cada um e cada uma. Tantas são as pessoas que sofrem por doenças, depressão, solidão, negação do perdão. Nós intercedemos por todas elas, especialmente pelos nossos próximos mais próximos ...
Em especial, nós pedimos que olhes por todos os seus filhos e filhas, em tempos de violência, guerras e discordâncias políticas. Nós pedimos que nos conceda a sua Paz. Neste país, que está carente de cidadãos e cidadãs honestas, de caráter, éticos... em sua igreja, onde a contribuição deve vir como uma resposta de gratidão e, esses recursos também devem ser usados com responsabilidade, faz-te presente com teu Espírito Santo, Senhor.
Fica conosco, óh Deus! Guarda-nos em todos os momentos de nossa vida.
Por Cristo, nosso Senhor, que nos ensinou a orar....

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
BÊNÇÃO
O Senhor te abençoe e te guarde. O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti. O Senhor, sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.
Assim, abençoe-te o Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

ENVIO
Vão em paz e Sirvam ao Senhor com alegria, podendo sempre dar graças a Deus!
CANTO FINAL
Nº 206 - HPD 1 – Quão bondoso amigo é Cristo
 


Autor(a): Pastor Adriel Raach
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Tempo Comum
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 9º Domingo após Pentecostes
Testamento: Antigo / Livro: Jeremias / Capitulo: 23 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 6
Título da publicação: Caderno de Cultos - Sínodo Mato Grosso / Ano: 2018
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 47749
REDE DE RECURSOS
+
Um cristão não pode ser ofendido a tal ponto que não possa mais perdoar.
Martim Lutero
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br