O cristão não praticante

Subsídios para uma fé ativa e transformadora

02/09/2018

Tiago‬ ‭1.17-27‬ ‭NVI-P ‬‬ “17 Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstantes. 18 Por sua decisão ele nos gerou pela palavra da verdade, a fim de sermos como os primeiros frutos de tudo o que ele criou.19 Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, 20 pois a ira do homem não produz a justiça de Deus. 21 Portanto, livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês, a qual é poderosa para salvá-los. 22 Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando vocês mesmos. 23 Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho 24 e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência. 25 Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu, mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer. 26 Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum! 27 A religião que Deus, o nosso Pai, aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo.”
‭‭‬‬‬‬‬‬‬‬
O cristão não praticante

Introdução
Prezada Comunidade reunida,
em carta escrita por volta do ano 50 AD, uma pessoa se apresenta como sendo Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo. Se fala que era um dos irmãos de Jesus. Sua carta é endereçada à igreja que vive na Dispersão, composta por judeus que vivem espalhados no mundo mediterrâneo. Lá a carta de Tiago vai encontrar pobres e ricos, cristãos doentes e saudáveis, pessoas com esperança e desesperados, gente que consegue se virar sozinha e outros que precisam de ajuda, presbíteros e pessoas que estão recém chegando à Igreja. Uma carta aberta, para todas as pessoas, dispostas a ouvir sobre a sabedoria da vida com o Senhor Jesus.

Martin Luther a chamou de epístola de palha. A carta de Tiago, especialmente o capitulo 2, parece contradizer a doutrina paulina de justificação pela fé, tema tão importante para a Reforma. Não que, por ser epístola de palha, devesse ser jogada fora. A palha tem pouco valor, mas é útil para forrar um colchão, por exemplo. Assim se fazia na Wittenberg de Lutero. Tiago se opõe claramente a uma fé sem obras, sem sinais concretos de que o Evangelho de Cristo está promovendo mudanças. Evidentemente toda vez que a lei se torna mais importante que o Evangelho, a regra e o comportamento mais eficaz que a graça, há de se impedir que obra da cruz seja trocada por obras humanas. (Veja matéria no facebook Paróquia Martin Luther do Rio de Janeiro - IECLB na coluna PALAVRA PARA A SEMANA.)

Tudo vem de Deus

Quando estamos reunidos para uma refeição – como acontece muito aqui na PMLRio – e sou solicitado a fazer a oração de mesa, muitas vezes lembro do v.17: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes.” É uma declaração e reconhecimento de onde vem nosso alimento de cada santo dia.

Deus é o criador de todas as coisas. E a cada novo dia da Sua criação, ele sentava naquele banquinho de três pernas, olhava e dizia: isto está bom. Sim, todo o que há de bom, vem de Deus. Ele o fez. Todos os presentes (dons), todas as dádivas, são alcançadas em abundância e suficiência a toda a humanidade. As pessoas que O amam, reconhecem isso. Ao contrário das pessoas que não levam a sério sua vida de batizadas, as pessoas que amam a Deus reconhecem diária e constantemente que Ele é bom. João Batista, ao dar testemunho de Jesus, disse: “O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu.” (João 3.27) O salmista também afirma com toda sua eloquência: “Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” (Salmos 127.1)

Por ser bom e doador de todas as coisas que precisamos, as pessoas que amam a Deus, se voltam com gratidão e confiança ao doador de todas as boas dádivas. Ao mesmo tempo, se voltam às pessoas ao redor para alcançar a elas o suprimento abundante de tudo o que precisam, sem que lhes falte nada. Sabem que Ele não abandona, não prova e nem castiga quem O segue. Deus é fiel, Deus não muda e Deus não se contradiz. Dele vem toda a solução de nossos anseios.

Como isso acontece?

Tudo é gerado pela palavra da verdade. Deus fala e as trevas se desfazem. Deus fala e a água vai para seus limites. Deus fala e as plantas e os peixes ocupam seu lugar devido. Deus fala e o ciclo natural entre lua, sol e estrelas se estabelece.

O pensamento de Deus só se torna conhecido a partir de Sua palavra criadora. Sim, pensamentos, quando se tornam palavras, promovem mudanças. O apóstolo entende que Tiago precisa, no entanto, aprofundar esta questão.

Pensem bem, diz ele, antes de falar e antes de agir, vejam se os frutos da criação de Deus, o Pai das luzes, estão manifestados em sua vida. Pense bem: “a ira do homem não produz a justiça de Deus” (v.20), ou seja, não é a intolerância ou a busca por princípios próprios que vai tornar a realidade mais justa. Pense bem, seus pensamentos vão se tornar palavras e suas palavras se tornarão atos. Pense bem, seus atos irão se tornar hábitos e os seus hábitos, de tão enraizados, vão formar o seu caráter. Pense bem, seu caráter vai determinar o destino da sua vida, da vida das pessoas que cercam você. Pense bem. Seu destino vai determinar o destino da sociedade e da nação onde você e eu estamos.

Tudo vem de Deus e a Deus deve levar!

O exercício do cristão

Lembro com muita vivacidade do meu Ensino Confirmatório. Minha turma teve a sorte de pegar um pastor bem legal para nos ensinar. Ele foi o primeiro a permitir que cantássemos alguns hinos batendo palmas e, também, usando o violão no lugar do órgão. Nos fazia decorar um versículo bíblico por semana. Eu gostava dos mais curtinhos. Por isso não esqueço do “tornai-vos, pois, praticantes da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos”.
Saudoso Pastor Frenzel.

Como vimos, a nossa prática acontece a partir da palavra, fruto do pensamento. Na minha infância e adolescência acreditava que o cumprimento rígido de regras e mandamentos era a garantia de ir pro céu. Com a maturidade esta compreensão foi se clareando e hoje entendo que a prática da palavra de Deus não é garantia de salvação e sim, é resultado da salvação que Deus concede na cruz do Calvário. Se Deus habita meu pensamento – aquele lugar onde o “eu” é realmente o “eu” – então o “tu” poderá me ouvir e ver de acordo com a vontade de Deus.

Se partirmos do conceito de que a ampliação do pensamento – expansão do pensamento – se dá no pensar-falar-agir, então é óbvio que não podemos ser apenas ouvintes da palavra, mas também praticantes da palavra. Palavra sem ação aborta a vida da sua plenitude. Desclassifica qualquer coisa que queiramos chamar de fé.

Como Deus é o promotor de toda boa dádiva, de forma natural quer nos preservar das armadilhas que tendem a nossa afastar da Sua Salvação em Jesus Cristo. Nosso Deus deseja cumprir em nós todo o Seu bem. O Senhor Jesus nos disse que foi por isso que ele veio a este mundo: “O ladrão não vem senão para roubar, para matar, e para destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” (João 10.10)

Mesmo que nós sejamos relapsos e infiéis à vontade de Deus, é impossível que Deus mude. Fidelidade e imutabilidade são características próprias do Pai celestial Este valor se encontra na sua natureza, faz parte do seu caráter, é algo próprio do Altíssimo. E é por tudo isto que Tiago, de forma tão amorosa, nos exorta a entendermos que tudo quanto é bom nos vem do nosso Deus. Portanto, devemos usufruir de todas estas dádivas, atentando sempre, porém, para delas usufruirmos dentro de toda a vontade de Deus. Assim, verdadeiramente seremos felizes.

“... o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu, mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer.” (v.25)

Notadamente a “palavra” a que se refere Tiago é o Antigo Testamento. A Palavra de Deus é o espelho que mostra o nosso pecado, a nossa incoerência diante das boas coisas que o Senhor criou para nosso deleite. Esta Palavra é estendida para os escritos do Novo Testamento, que nos revela a justiça de Cristo alcançada em nosso favor. A Palavra se torna inequívoca a partir da fé. É pela fé que a Palavra se torna útil e a palavra é, por sua vez, a promotora da fé. Toda a pessoa que se afasta do espelho da Palavra, ao não viver de forma justa tal como a Palavra o ensina, acaba se afastando da justiça de Deus.

Colocando isto na boca de um texto da Confissão de Augsburgo, temos: “Boas obras devem e têm que ser feitas, não para que nelas se confie a fim de merecer graça, mas por amor de Deus e em seu louvor” (CA XX 27).

Conclusão

Uma expressão muito conhecida no meio cristão brasileiro é a do “católico não praticante”. Todos sabemos o que isso quer significar. Não conheço a expressão “evangélico não praticante”. Não que esta espécie de gente não exista. Entre nós, costumamos chamar estes não praticantes de “gélicos”. São indiferentes na sua prática de fé, não fazem diferença e pensam não fazer falta.

Em nome da graça justificadora de Cristo da cruz, precisamos resgatar o elemento da prática diária da vida cristã. O que sabemos e o que acreditamos não significam muita coisa se não afetam como vivemos no nosso cotidiano. Precisa haver mudança. Precisa haver movimento. Isto não salva, mas evidencia que o reino de Deus está próximo e, melhor ainda, já está entre nós. 

Puro, direto e simples: a fé não vivida diariamente não é fé; é uma fachada. Quando aprendemos a verdade da palavra de Deus, só resta uma coisa para fazer: praticá-la!

Quais versículos da Palavra de Deus você sabe decorado? Qual o seu nível de conhecimento da Palavra para poder exercitar a fé diariamente? 

Oração: Santo Deus, nos ajude a pôr em prática o que sabemos que é a Sua vontade e a Sua verdade hoje. Não permita que se criem condições para sermos indiferentes.

Amém.
 


Autor(a): Pr. Rolf Rieck
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Rio de Janeiro - Martin Luther (Centro-RJ)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Testamento: Novo / Livro: Tiago / Capitulo: 1 / Versículo Inicial: 17 / Versículo Final: 27
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 48670
REDE DE RECURSOS
+
Não existe nada de tão bom e nada de tão ruim que Deus não poderia usar para me fazer o bem, se eu confio Nele.
Martim Lutero
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br